Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

EMISSÃO DOS GASES QUE MAIS CONTRIBUEM PARA O AQUECIMENTO GLOBAL BATEU RECORDES EM 2014

por Mäyjo, em 06.06.17

seca_SAPO

Em 2014, os principais indicadores das alterações climáticas da Terra voltaram a reflectir a tendência de um planeta cada vez mais quente, com vários indicadores – como o aumento das temperaturas globais, aumento do nível da água do mar e emissões de gases com efeito de estufa – a estabelecerem novos recordes.

 

A conclusão é do Relatório sobre o Estado do Clima em 2014, da autoria da Sociedade Meteorológica Americana, que avalia a temperatura, precipitação e outros eventos meteorológicos em todo o mundo.

O relatório foi compilado pelo Centro de Meteorologia e Clima da Administração Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA) e conta com a contribuição de 413 cientistas de 58 países distintos.

Segundo o documento, 2014 foi o ano mais quente dos últimos 135 anos e os cientistas alertam que o clima terrestre continua a mudar rapidamente em comparação à era pré-industrial. “Este relatório apresenta dados de vários pontos do globo, fornecidos por centenas de cientistas e dá-nos uma imagem do que aconteceu em 2014. A variedade de indicadores mostra-nos que o nosso clima está a mudar, não só nas temperaturas mas também nas profundezas dos oceanos e na atmosfera exterior”, indica Thomas R. Karl, director do Centro Nacional de Informação Ambiental da NOAA, em comunicado.

O relatório revela que o dióxido de carbono e o óxido nitroso – gases que mais contribuem para o efeito estufa – voltaram a atingir concentrações médias recordes em 2014. Quanto às temperaturas, a Europa experienciou o seu ano mais quente de sempre desde que começaram os registos e outros 20 países estabeleceram novos recordes para as temperaturas médias.

Foto: martinjankoehler / Creative Commons

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:48

Menos 40% de emissões até 2030

por Mäyjo, em 10.03.16

metro- 23jan.jpg

 

in Metro 23/01/2015

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:45

10% DA POPULAÇÃO MAIS RICA DO PLANETA É RESPONSÁVEL POR 50% DAS EMISSÕES DE GASES COM EFEITO DE ESTUFA

por Mäyjo, em 08.01.16

dinheiro_SAPO

As pessoas mais ricas do planeta são, por uma grande margem, os maiores contribuidores para as alterações climáticas, de acordo com o relatório Extreme Carbon Inequality (abre PDF), publicado pela Oxfam.

Segundo a confederação ligada à luta contra a pobreza, cerca de 10% da população mais rica do Planeta é responsável por 50% das emissões de gases com efeito de estufa. “A metade mais pobre da população mundial, cerca de 3,5 mil milhões de pessoas, é responsável por 10% do total de emissões atribuídas ao consumo individual. E vive nos países mais vulneráveis às alterações climáticas”, afirma o estudo.

O relatório continua: “Por outro lado, 50% destas emissões podem ser atribuídas ao 10% de pessoas mais ricas do mundo, que têm uma pegada carbónica 11 vezes maior que a metade pobre da população e 60 vezes maior que a franja os 10% maios pobres. E a pegada carbónica do 1% de população mais rica é 175 vezes maior que a da 10% mais pobre”.

O estudo avança ainda que, desde o falhanço da Cimeira do Clima de 2009, em Copenhaga, Dinamarca, o número de bilionários que tem interesses na indústria dos combustíveis fósseis subiu de 54 para 88 – e a sua fortuna de €188 mil milhões para €282 mil milhões.

Mas mesmo entre os mais ricos existem discrepâncias. Os ricos norte-americanos são responsáveis por mais emissões de carbono que os chineses. Mas é neste país asiático que está a chave do clima global. “Se a China e a Índia, especialmente estes dois países, não optarem por um caminho limpa para a prosperidade, então o mundo está realmente lixado (sic)”, conclui o Quartz.

Foto: epSos .de / Creative Commons

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:34

OSLO VAI PROIBIR CARROS NO CENTRO ATÉ 2020

por Mäyjo, em 04.01.16

oslo_SAPO

A cidade de Oslo, na Noruega, está a preparar a mais agressiva legislação anticarros do mundo, que a levará a proibir os automóveis de circularem no seu centro até 2020. “Queremos um centro sem carros”, explicou aos jornalistas Lan Marie Berg, negociadora do Partido Verde norueguês para este assunto.

Segundo o Autoblog, este plano é aceite pelos três principais partidos da câmara de Oslo – os verdes, trabalhistas e socialistas – e transformará a cidade na primeira a banir permanentemente os carros do seu centro, uma medida que tem sido tomada, em alguns dias e horas, por algumas cidades da Europa e Estados Unidos.

Com menos carros para transportar pessoas, os governantes querem encontrar formas alternativas de movimentar os cidadãos. Está prevista a construção de mais de 55 quilómetros de ciclovias até 2019, assim como a extensão da infraestrutura de transportes públicos da capital norueguesa.

Os elétricos, autocarros e outros veículos de transporte de pessoas continuarão a poder frequentar o centro da cidade, assim como carros conduzidos por pessoas com deficiência.

A capital pretende também tornar-se num paraíso para os carros elétricos que, na verdade, já circulam em números muito interessantes. O facto de a maioria da população proprietária de carros viver na área da Grande Oslo e, paralelamente, esta distar poucos quilómetros do centro da cidade, tem levado vários noruegueses a comprar um veículo elétrico.

A nível nacional, foi feita uma proposta para que, até 2025, perto de 100% dos novos carros vendidos serem elétricos. A proposta faz parte do plano para cortar as emissões de gases com efeito de estufa em 40%, nos próximos quinze anos, em relação aos dados de 1990.

Foto: Nicolò Lazzati / Creative Commons

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:34

"Cowspiracy" - A culpa não é das vacas

por Mäyjo, em 09.10.15

Um documentário a não perder: "A Conspiração das Vacas" (Cowspiracy: The Sustainability Secret), de Kip Andersen e Keegan Kuhn, 2014. Trata dos efeitos da pecuária no estado do planeta e da forma com o assunto tem sido esquecido pelas ONGA. Não, a culpa não é das vacas, apesar de:

 
«51% das emissões de gases com efeitos de estufa devem-se à pecuária. Este número assolador deve-se à desflorestação para os pastos, à respiração e a todos os excrementos produzidos pelos animais.
Isto torna a produção animal a grande responsável pelas alterações climáticas causadas pelos seres humanos. Mas, mais do que isso, descobri que criar animais para a alimentação consome 1/3 de toda a água potável do planeta, ocupa até 45% da superfície terrestre, é responsável por 91% da destruição da Amazónia, é a causa principal da extinção das espécies, das "zonas mortas" dos oceanos, e da destruição de habitats.» (Kip Andersen, extraído do filme)
 
«Os pesquisadores que se preocupam com a extinção das espécies concordam que a causa principal da extinção das espécies, a que testemunhamos, é a excessiva criação de gado e a perda de habitats promovida pela pecuária e a pesca excessiva nos oceanos.»  (Dr. Richard Oppenlander , do filme)
 
«Estamos a viver a maior extinção de espécies desde há 65 milhões de anos, as florestas têm sido destruídas a um velocidade de 4050 m2 por segundo, e a força motriz por trás de tudo é a produção animal. Desflorestar para criar pasto e cultivar soja. Soja transgénica para as vacas, porcos, galinhas e peixes de produção massiva.» (Dr. Will Tuttle, do filme)
 
«A causa principal da destruição ambiental é a produção animal.» (The Sustainability Institute, do filme)
 
Veja  A Conspiração das Vacas legendado em português aqui.
 Site: http://www.cowspiracy.com/    Trailer abaixo.


 
Artigos sobre o filme:
Observador, 5/1/2015: http://observador.pt/2015/01/05/cowspiracy-o-documentario-que-anda-a-fazer-veganos-vai-ser-exibido-em-lisboa/
Jornal i (entrevista a um dos realizadores Keegan Kuhn), 10/1/2015: http://www.ionline.pt/265264#close
Correio da Manhã (11/1/2015): http://www.cmjornal.xl.pt/domingo/detalhe/a_vida_o_futuro_e_as_vacas.html
Agenda Cultural do Governo dos Açores, maio 2015: http://www.culturacores.azores.gov.pt/agendaNovo/default.aspx?id=4698

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:11

Dinamarca compromete-se a estabelecer metas para redução das emissões de CO2 a cada cinco anos

por Mäyjo, em 10.02.15

Dinamarca compromete-se a estabelecer metas para redução das emissões de CO2 a cada cinco anos

O actual Governo dinamarquês, e os futuros, vão ser obrigados a estabelecer metas nacionais para diminuir as emissões de gases com efeito estufa a cada cinco anos, de acordo com uma nova lei aprovada pelo parlamento na última semana.

Para ajudar no estabelecimento das metas será criado um Conselho do Clima, refere oBusinessGreen, que prestará aconselhamento ao Estado sobre as melhores medidas a implementar para atingir as reduções e monitorizará as políticas ambientais para garantir que as metas são cumpridas.

O Executivo actual, formado através de coligação, comprometeu-se a reduzir as emissões de gases com efeito estufa em 40% abaixo dos níveis de 1990 até 2020. As medidas já implementadas levaram a uma redução de 28,4% das emissões.

A Dinamarca estabeleceu-se também já como um dos principais mercados de energias renováveis, sendo que estas fontes energéticas geraram cerca de 26% da energia consumida no país em 2012. O objectivo da Dinamarca é depender totalmente das energias renováveis até 2050. No último ano, as eólicas produziram o equivalente a mais de 100% das necessidades energéticas do país.

Foto:  CGP Grey / Creative Commons

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:42

LIMA: PAÍSES CHEGAM A ACORDO PARA MEDIDAS CONTRA O AQUECIMENTO GLOBAL

por Mäyjo, em 31.01.15

Lima: países chegam a acordo para medidas contra o aquecimento global

Os países participantes na Cimeira do Clima das Nações Unidas, que decorreu em Lima, no Peru, acordaram, no dia 14 de dezembro de 2014, em aprovar medidas para reduzir as emissões de gases com efeito de estufa e combater o aquecimento global.

O documento final aprovado na cimeira, intitulado “A chamada à acção de Lima”, decreta que as 196 nações participantes vão ter de apresentar às Nações Unidas, antes de 1 de Outubro de 2015, compromissos “quantificáveis, ambiciosos e justos” para a redução dos gases com efeito de estufa, escreve o Inhabitat.

A Cimeira do Clima esta prevista terminar na passada sexta-feira, mas a falta de consenso obrigou a que os trabalhos fossem prolongados até domingo numa tentativa de acertar os termos do esboço para o novo acordo ambiental que deverá ser celebrado na cimeira de 2015, em Paris, e que vai substituir o Protocolo de Quioto.

Foto:  No More of this / Creative Commons

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:16

Efeito de estufa

por Mäyjo, em 16.01.15

Efeito estufa é um fenómeno natural de aquecimento térmico da Terra. É imprescindível para manter a temperatura do planeta nas condições ideais de sobrevivência. Sem ele, a Terra seria muito fria, dificultando a vida.

Efeito estufa é um fenómeno natural de aquecimen

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:35

O efeito de estufa

por Mäyjo, em 30.12.14

9.png

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:06


Este blog disponibiliza informação com utilidade para quem se interessa por Geografia. Pode também ajudar alunos que por vezes andam por aí desesperados em vésperas de teste, e não só, sem saber o que fazer...

Mais sobre mim

foto do autor


Siga-nos no Facebook

Geografando no Facebook

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Junho 2019

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D